Segunda-feira, 13 de Agosto de 2007

A FIFA não é tão democrática como parece ser.

     A FIFA (Fédération Internationale de Football Association - fusão dos idiomas francês, onde foi fundada a entidade, e inglês, por serem os inventores do futebol) possui 208 membros(muitos deles não são países, como seu último membro, Gibraltar, que é um território pertencente a Grã Bretanha). É a entidade internacional com mais membros - os membros são chamados de seleções (batendo o COI- comitê olímpico internacional, com 202 membros, chamados de delegações - e a ONU- organização das nações unidas, com 191 membros, chamados de países).
      A FIFA sempre está em crescimento, surgiu na França, demorou a ser aceita pelos britânicos(donos do jogo, que já faziam parte da International Board- que até hoje regula as regras do futebol junto com a Fifa- e  se recusaram de início a se filiar à uma entidade sediada na França), hoje já tem como filiados confederações de países exolados da globalização, mas mesmo assim, ainda não é universal. E na contra mão da FIFA (que após a segunda guerra mundial passou a ter sua sede em Zurique, na Suíça) surgiu a NF-Board (sediada em Liège, na Bélgica), entidade com apenas 9 membros "não alinhados"(como a Groelândia e o Tibet), que lutam por aceitação no cenário do futebol mundial, mas por diversos fatores(como por serem colônias sem a mínima autonomia, embora tenham traços culturais que as enquadram como um estado nacional não oficial) só conseguem destaque em torneios paralelos àos midíaticos oficiais da FIFA , como a VIVA WORLD CUP, realizada na Occitônia (região da França) em 2006 e vencida pela Lapônia, após goleada sobre Mônaco por 21 a 1, com 4 gols de Erik Lamøy (artilheiro da competi
ção com 5 gols),no Stade Perruc, na cidade de Hyères. O troféu Nelson Mandela foi para a terra do Papai Noel e será colocado em jogo na próxima ediçã
o da VIVA World Cup.
       Rivalizando com a NF-Board, a KTFF(sediada na cidade de Lefkoşa, no Chipre do Norte) promoveu, também no ano de 2006, seu torneio, a ELF World Cup (Elf é a sigla para
Equalitie, Libertie, Fraternitie). Alguns membros da NF-Board foram seduzidos pela proposta tentatadora de participar de um torneio com tudo pago(passagens, hospedagens...) e a ELF world Cup contou com 2 grupos de 4 times(a VIVA world cup contou com apenas 3 equipes) e foi protagonizada por uma final mais disputada: os donos da casa venceram a Criméia(uma república autônoma da Ucrânia)  por 3 a 1(as duas equipes ja haviam se enfrentado pelo grupo B no mesmo Atatürk Stadium, em Lefkoşa, vitória dos anfitriões por 5 a 0)  e de quebra tiveram o artilheiro da competição, Ertaç Taşkıran, com 5 gols.

      Interessante que o Chipre do Norte havia lançada a sua candidatura para sediar a primeira VIVA world cup, e hoje, “rouba” seus membros.

       Muitos dos filiados da NF-Board e FTFF não são “países oficiais”, e sim colônias ou territórios, mas a recípocra para a Fifa é a mesma: além de diversas colônias e territórios(como o mais recente filiado, Gibraltar, colônia britânica) figurarem entre os 208 membros, a Grã Bretanha, que para a ONU é 1 nação, para a Fifa são 4 seleções: Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales. A diferença é que os excluídos da Fifa cansaram de esperar aceitação do orgão máximo(como as ilhas Guadalupe, que ficaram em quarto lugar da copa Ouro- torneio da Concacaf, a confederação das Américas do Norte, central e Caribe filiada a Fifa- e portanto não precisam mostrar mais nada para adquirerem o direito de participarem das eliminatórias da Fifa World Cup) e resolveram tomar iniciativa e participarem de torneios alternativos.

     É uma luta pela inclusão no contexto do futebol globalizado, e não necessariamente luta pela independência nacional(a Groelândia, colônia dinamarquesa, por exemplo, recebe de seus patrícios nórdicos investimento financeiro na educação e saúde de qualidade, mas, caso deixe de ser colônia, certamente perderá esses privilégios e consequentemente, cairá na miséria, então, não se luta pela independência na maior ilha do mundo).

       Itália, Lapônia e Chipre do Norte, o que essas seleções tem em comum? Foram as vencedoras dos toreios “máximos” que podem disputar. Miroslav Klose,  Erik Lamøy e Ertaç Taşkıran, o que esses jogadores tem em comum? Foram artilheiros absolutos dos torneios máximo que tem direito a disputar (com 5 gols). Então, estudando parte do complexo mundo da bola, chegamos a conclusão de que ele não é tão democrático quanto se imagina, pois futebol não se baseia apenas à Fifa, e mesmo sabendo que a seleção italiana certamente venceria as seleções da Lapônia e Chipre do Norte, e que tecnicamente supõe-se que Klose seja melhor que Lamøy e Taşkıran, nos esportes só podemos declarar um vencedor em campo e após o apito do árbitro, e muitos dos excluídos gostariam de ter a oportunidade de pelo menos disputar as eliminatórias da Fifa World Cup, beneficiando suas projeções mundiais e enriquecendo a entidade máxima com uma democrática “salada selecional”.

         A GrandEsports trará muito mais dos torneios alternativos de futebol para você, como as ligas regionais em Fortaleza(uma das cidades mais organziadas em torneios metropolitanos amadores) e sobre as numerosas divisões nos campeonatos paulista(torneio profissional mais complexo do Brasil) e inglês(o torneio nacional mais complexo do mundo, com um misto de equipes amadoras e profissionais em 10 divisões!), além de futebol feminino e, pegando a onda do criança esperança e jogos para-pan-americanos, futebol para especiais(futebol de 5- para cegos- e futebol de 7- para paralíticos cerebrais). Para saber mais sobre os torneios citados nesse texto, acesse:

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/NF-Board

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/VIVA_World_Cup

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/ELF_Cup

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/International_board

 

Lucas Franco, presidente da rede GrandEsportS.

          
publicado por pensepositivo às 05:53
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 7 de Agosto de 2007

O Emigrante com planos.

     Só para esclarecer a diferença dos migrantes: o imigrante é um 'não nativo' de uma determianda região e que reside nesse local(por exemplo, o Brasil tem muitos descendentes de imigrantes libaneses, japoneses, italianos...).

       O emigrante é o nome dado para o nativo que saiu de sua terra, então, por exemplo, o brasileiro que vai tentar a vida nos Estados Unidos irá 'emigrar' do Brasil.

       O texto a seguir vai mostrar um personagem contrário ào do texto anterior(O imigrante sem planos), e contará a história de um emigrante e seus planos antes de partir para 'sua aventura':

 

 

 

"Fazer planos é preciso

é preciso planejar

na sua cabeça umas idéias

na intuição o que fará

 

Vá sem medo aventureiro

riscos podem estimular

a ser grande na aventura

partindo para um outro lugar 

 

Sair da rotina é uma conquista

estabilizar-se não é viver

para seu espírito conquistador

grandes coisas deve fazer

 

Ralarás com muita garra

humildade terás para fazer

em outras terras  o que não fazes

por verganha de perder

 

Perder a honra de ser

um qualquer em seu lugar

qualquer um tu não será lá

pois sua presença irá marcar

 

Irá vencer e voltar

para o seio de sua família encontrar

e caso tu não volte

uma nova terra irá te amar"

 

 

publicado por pensepositivo às 01:09
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Agosto de 2007

O imigrante sem planos.

Nesse meu 'texto livre'(pois não é poema, nem poesia, tem estilo próprio meu), falo um pouco da vida dos imigrantes que partem de uma vida pacata(como num interior do Nordeste) em busca de uma vida mais completa, mas não sabem que o vazio dentro de si não podem ser preenchidas indo para um novo lugar e ganhando mais dinheiro(se é que isso vai aocntecer, pois o risco de as coisas darem erradas é grande), e o desejo de migrar e se dar bem é muito mair se tiver planos, e quem tem planos tem a consciência do que quer, e tem a consciência que o mundo pode não ser 'um mar de rosas', mas podemos mudar nossa história usando a inteligência e a força de vontade, que pretendo usar cada vez mais para passar no vestibular. Abaixo o texto:

 

 

 

"Saiu de bem, bem distante

para procurar, um novo lugar

para ser feliz, para mudar

mudar de vida, vida pacata

 

Queria mais, muito mais

para crescer, para mudar

mudar de vida, vida pacata

podia mais, podia ser

ser mais feliz, para mudar

 

A sua vida, estava lá

no lugar, bem distante

mas ser feliz, não tem lugar

pra que mudar, sem conhecer

 

O outro lado, é um mistério

sem fazer planos, pode ser sério

pode ser sério, e piorar

pra não ser feliz, pra piorar"

publicado por pensepositivo às 00:16
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 2 de Agosto de 2007

Agora é pra valer!

       Bom, ontem(1º de agosto, 4ª feira) começaram minhas aulas no cursinho. E Também, uma nova vida para mim. Curti bem minhas férias, e mesmo sem ter viajado, aproveitei ào máximo tudo que pôde, com os recursos que tinha em mãos, valorizando o que as férias puderam me proporcionar, e agora, com as 'baterias recarregadas', vou passar por 1 semestre de muito sacrifício(sairei menos com os amigos, entrarei menos na internet, passarei fins de semana estudando) para conseguir um objetivo em que não só eu quero, e o número de vagas é limitado, mas acredito que entre tantas pessoas que lutam pelas vagas de jornalismo da UFBA, eu estou competindo em pé de igualdade, mesmo tendo apenas 1 semestre para estudar, e com muita garra e tranquilidade que a experiência de vida ja me deu, espero usar o que tenho de melhor para conseguir realizar meu objetivo, que não será fácil, mas sua recompensa será deliciosa =]

        Como ja diria o conterrâneo de Figo e Cristiano Ronaldo, Fernando Pessoa: ''Quem quer passar além do bojador, tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que espelhou o céu"; Nesse bojador(divisa entre os oceanos Atlântico e Índico, abaixo da África do Sul, onde ocorriam muitas mortes após as expedições portuguesas caminharem em direção à Índia) chamado vestibular, que será muito difícil, "tudo valerá a pena, se a alma não é pequena"(frase de Fernando Pessoa também), e se o desgaste e o risco for muito grande, é preciso pensar no que vem depois, e minha 'Ìndia' é estar na FACOM-UFBA, e não por vaidade ou apenas por ser gratuita: minha intuição me manda estudar lá, e como no texto da 'Seta invisível'(que está nesse blog), eu irei segui-la.

         A ansiedade da estréia ja passou com o 1º dia de aula. A partir de agora, espero sim tensão, sei que uma dose de nervosismo vai me fazer agir mais e partir pra cima dos livros, mas espero estrar controlado, para ser feliz durante esse percurso(pois na vida devemos ser felizes não só no momento da conclusão de nossos objetivos, e sim durante todo o percurso) e tomara que tude dê certo, e farei o possível para meu objetivo ser concretizado!

publicado por pensepositivo às 13:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. GrandeSportS interativo

. Mundial de clubes 2007(1ª...

. Fifa

. A FIFA não é tão democrát...

. O Emigrante com planos.

. O imigrante sem planos.

. Agora é pra valer!

. Eu e o futebol, como tudo...

. Uma dose de teimosia.

. Foco no que pensas.

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds